Brenda Ligia-Cinema,TV,Teatro

Minha foto
Brenda Ligia: prêmio de Melhor Atriz no festival Cine PE 2017 (Mostra Curtas PE). Estreias em 2017: “Onde Quer Que Você Esteja” (longa da Macondo Filmes/SP); “Causa Mortis” (curta da LRJ Filmes/PE), “Sob Pressão” (série da Rede Globo/ direção: Andrucha Waddington) e “África da Sorte” (série da TV Brasil/direção: Renata Pinheiro). Brenda está nos longas "Todas as Cores da Noite" (Pedro Severien), "As Melhores Coisas do Mundo" (Laís Bodanzky), "Sangue Azul" (Lírio Ferreira), "Bruna Surfistinha" (Marcus Baldini). Atuou nas séries de televisão "A Mulher do Prefeito" (Rede Globo), "Beleza S/A" (GNT), "9mm SP" (Fox), "Somos Um Só" (TV Cultura). Também é apresentadora e videomaker. Protagonizou comerciais e videoclipes musicais. Estudou no Teatro Escola Macunaíma/SP; atuou em comédias, musicais, infantis e dramas. Foi dirigida por Wagner Moura na leitura dramática do espetáculo “Tchau, Querida!”. É formada em Comunicação Social pela Faculdade Oswaldo Cruz/SP, cursou Ciências Sociais na University of the West Indies (Trinidad & Tobago, Caribe) e Francês em Vevey (Suíça). CONTATO: brenda.ligia@hotmail.com

27 de abril de 2008

O MENDIGO BONITO




Existem no mundo dois tipos de pessoas: as que continuariam sendo suas amigas caso você se tornasse um mendigo, e as que simplesmente te ignorariam por completo, dizendo que você tinha passado dos limites da linha de pobreza e etc e tal.

E, quer queiramos, quer não, conhecemos gente dos dois tipos. E nós mesmos podemos transitar entre os dois mundos! Analisemos meu caso, por exemplo. Enquanto pessoa física e professora de inglês, percorro habitualmente um trajeto arborizado e levemente sinuoso pelas ruas de Perdizes, 100% Z.O., sempre encontrando pelo caminho o mesmo mendigo.

Uma pessoa invisível, que certamente sente sua invisibilidade pelo olhar das pessoas; são olhares desgostosos, que reprimem o cheiro de quem não toma banho, que temem alguma reação pública de protesto quanto a sua miséria evidente.

Mas este mendigo é diferente. É resignado. Como se soubesse o lugar que ocupa, ainda que este tenha lhe trazido a insanidade mental. Sim, ele fala sozinho, chia, resmunga no ponto de ônibus da Alfonso Bovero às 8 da manhã. E depois se acalma. E olha em volta, observa tudo... como se procurasse entender, ou então como se seus olhos estivessem perdidos no vazio da cidade. E estão, mesmo. Ele, mais ainda.

Imagine como se sente: ali, estático, no ponto de ônibus, talvez compreendendo que, por sua causa, especificamente neste dia, todos os bancos ao lado do qual ele estava sentado, estavam vazios. E, no raio de 4 metros, todos de pé, a sua volta. Eu também. Sim, porque ele cospe no chão. E tem os pés descalços e as unhas longas. São unhas longas, em mãos bonitas. Ele tem mãos de mulher, daquelas que trocam fralda em
propaganda de bebê (sobre as quais meu irmão, indelicado ao ver a foto do mendigo bonito, disse que eram unhas para se coçar o saco escrotal. Aff).

Um mendigo bonito, sim. Com olhos claros: azuis, acho. Comentei com meu namorado, e ele me disse que não entende quando as pessoas comentam sobre o nascimento de algum bebê e dizem: "nasceu com olho azul e tudo!". Como se o fato de o bebê ter olhos azuis fizesse alguma diferença no que quer que seja. E então eu dei risada; olhando no fundo de seus olhos azuis (nos do meu amado lindo, não nos do mendigo bonito).

E com toda razão. Aliás, li essa semana num jornal xis, uma coluna de um jornalista xis, dizendo que, o ser humano que se orgulha da cor da sua pele (aplica-se, também, a cor dos olhos), qualquer que seja ela, deve seguir o seguinte conselho: não seja ridículo. Tem toda razão; adorei. Mas não guardei na memória seu nome, por pensar que nunca iria precisar decorar esta informação.

E, hoje, domingo à noite, preparo-me para ir para a cama, na certeza de novamente, amanhã, encontrar, pelo caminho, o mendigo bonito, mais uma vez. Ali, sentado, esperando o futuro chegar.
E será que as antigas namoradinhas do mendigo bonito passam por ele e ainda o cumprimentam? Duvido. O ser humano é assim, mesmo.

Um comentário:

mattoli disse...

Ó so pra lembrar...
Sou seu fã!!!!! o blog ducaralho!