Brenda Ligia-Cinema,TV,Teatro

Minha foto
Brenda Ligia: prêmio de Melhor Atriz no festival Cine PE 2017 (Mostra Curtas PE). Estreias em 2017: “Onde Quer Que Você Esteja” (longa da Macondo Filmes/SP); “Causa Mortis” (curta da LRJ Filmes/PE), “Sob Pressão” (série da Rede Globo/ direção: Andrucha Waddington) e “África da Sorte” (série da TV Brasil/direção: Renata Pinheiro). Brenda está nos longas "Todas as Cores da Noite" (Pedro Severien), "As Melhores Coisas do Mundo" (Laís Bodanzky), "Sangue Azul" (Lírio Ferreira), "Bruna Surfistinha" (Marcus Baldini). Atuou nas séries de televisão "A Mulher do Prefeito" (Rede Globo), "Beleza S/A" (GNT), "9mm SP" (Fox), "Somos Um Só" (TV Cultura). Também é apresentadora e videomaker. Protagonizou comerciais e videoclipes musicais. Estudou no Teatro Escola Macunaíma/SP; atuou em comédias, musicais, infantis e dramas. Foi dirigida por Wagner Moura na leitura dramática do espetáculo “Tchau, Querida!”. É formada em Comunicação Social pela Faculdade Oswaldo Cruz/SP, cursou Ciências Sociais na University of the West Indies (Trinidad & Tobago, Caribe) e Francês em Vevey (Suíça). CONTATO: brenda.ligia@hotmail.com

30 de abril de 2008

Tem portuguesa no ônibus!

O TIGRÃO DOIDO PRA DAR UMA ENCOXADA, ÓIA! (aff...)
Surreal! Um ônibus cheio de velhinhos de Portugal!

(olha a rima)

Sentei ao lado, conheci e entrevistei uma senhorinha portuguesa chamada Milintina. Esse é o nome dela, sim. Disse que é quase tão comum quanto o tradicional Maria. Na verdade, ela me disse que o comum mesmo é Maria Milintina. Sei... deve ser tipo "Rita de Cássia" deles.

Foi divertido! Todo mundo ficava olhando, sem entender bulhufas! (Não vou falar "DONA" Milintina porque isso deve ser coisa de brasileiro! Que nem "SEU" Ivanildo e etc). Eu sei que com a barulheira do ônibus não dá pra entrevistar ninguém, e que eu estava segurando o celular muito pra baixo (tem até close das peitola da "Dona" Milintina, tadinha!). Da próxima vez, pensarei em tudo isso. Por enquanto, fica assim mesmo. Difícil de entender, mas as partes inteligíveis já bastam para absorver o contexto.

Aliás... vou falar uma coisa: hoje foi meu último dia num ônibus. Pelo menos, regularmente. Ah, não dá... a lei de Murphy determinou que o 917H seria o ônibus mais cheio de todas as linhas da Santa Brígida! Aff. Ou seria da Gato Preto? Ou Gato Afro-Descendente? hahaha

(não, não dormi com o Bozo, Varallo)

E hoje, na volta pra casa, depois de um (não tão exaustivo) dia de trabalho como digna e respeitável professora de inglês da escola de idiomas, peguei o ônibus às 21h como se fosse 6 da tarde, hora do rush. Todo mundo de pé. Eu não acreditava numa coisa daquela. E eu crente que ia voltar pra casa sentada, lendo meu livrinho em paz, sem reclamar... digna de uma madame do proletariado! Mas ah... não. Fiquei de pé até 10 da noite. Aff.

Meninas que andam de ônibus, absorvam esta dica: meu truque para não ser encoxada no corredor. É só levar nas costas uma baita duma mochila do High School Musical, inflada com livros, evangelhos, textos, sombrinha, blusa de frio, kit de make-up, hidratante para as mãos e unhas... assim, malandro não tasca. hehehe... politicamente correto ou não, é melhor do que ter surpresas desagradáveis pelo caminho. Ninguém quer saber de "drops". Aff. Que nem um dia que cochilei no assento solitário do ônibus (sabe qualé?) e algo pontudo me acordou. Era um barrigudinho cutucando meu ombro, AFF! NOJOOOOO mortaaaaaaaaal!

E hoje tinha um malandrão, mesmo! Era um tiozão que estava na flor da idade; o pângua devia estar com a testosterona em ponto de bala, porque não é possível uma coisa dessa! Sabe, do tipo que puxa papo com todo mundo, o tempo todo, a dar com pau? Detalhe: todas as "vítimas" eram mulheres. Boçal.

-Se este está lotado, é sinal que o outro vem vazio -disse o infeliz.
Eu, com meu grau de simpatia na escala menos oito, nem monossilabicamente respondi. Simplesmente me recolhi por trás das minhas lentes corretivas obrigatórias (astigmática ou hipermetrópica?). Óculos de grau ajudam a impor respeito e acentuam meu ar de "estou cansada, um poço de stress, nem se atreva a sorrir pra mim!".

E o tiozão simplesmente tarava as menininhas! Acompanhava as conversas de amigas que voltavam da escola pública. Acompanhava não só com o olhar, mas também com o pescoço! Um tremendo cara-de-pau! Olhava decotes, nem disfarçava (sim, tinha mulher com decote mesmo nesse frio!) Era um nojento! Aff. E, no trajeto de uma hora em pé (trânsito pré-feriado é de matar, né?), ele tentava, avidamente, manter contato visual! aaaaaaaaaaargh!

Se a janela do ônibus tivesse uma tela de náilon, eu teria cortado pra arremessá-lo pra fora, à la Nardoni (ish! Piada indelicada, da minha parte?).

E, se existe algo difícil de ser dominado, é o jogo do feio. É quando algum feio tenta travar contato olho-no-olho com você, num recinto fechado, e você tenta a todo custo não olhar, mas vira e mexe não escapa "com vida", vitoriosa. Sabe como é? Você pensa "eu não posso olhar pro feio, eu não posso cruzar olhar com o feio, eu não posso..." e de repente, lá está você, por uma fração de segundo, que seja, trocando olhar com o feio! aff. Bate um arrependimento!

E esse tiozão ainda tinha pele de delegado. Sabe? A famosa "areia mijada". Aff... como eu estou naipe "baixo calão", hoje, né? Acho que é porque acabei de descer do Terminal Pirituba. Aff. E quando o Clodovil chamou não sei quem de feia, lembra? Foi um auê. Mas o povo esquece rápido, hehehe. Então eu nem ligo.

E o tiozão era do tipo que, não contente com o embate intangível dos seus olhares de tarado, ainda por cima tentava aproximação física! aaaaaaaaaaargh, de novo! Ele "sutilmente" fazia com que sua mão "escorregasse" do apoio, a cada curva da Cerro Corá! aaaaaaaagh, me acode!

Conclusão: peguei trauma. Aff. Chega. De volta à agonia automobilística. Eu, enlatada. Fritando no trânsito. Suando que nem uma porca (essa foi só pra fechar com chave de ouro).

PS.: O título é a portuguesa Milintina, mas o texto é sobre o Tigrão. Não tem importância, porque o vídeo é auto-explicativo. E a história do Tigrão repousa no coração (fecho com esta rima pobre).
"NÃO IMPORTA SE É POBRE. O IMPORTANTE É QUE VEIO COM SAÚDE."

Último PS (post scriptum?): Sí, yo hablo portuñol. Caballeros Solitários. Amém.

3 comentários:

Anônimo disse...

Querida, Adorei o blogue!
Ontem estive no Sion, revi alguns dos nosos professores, tão engraçado! Estou fazendo estágio de observação de aula com a prof. Milena. Lembra?
Lembrei da gente... beijo, Mariana

Anônimo disse...

eh menina brenda ligia
vc vai longe mesmo
escreve muito bem
continue
sempre
sucesso
pablo

Anônimo disse...

Caraca, mas ela não é portuguesa? Que porra é essa de entrevistar em espanhol?

Hable sério gue!

Crosseyed Old Lady.