Brenda Ligia-Cinema,TV,Teatro

Minha foto
Brenda Ligia, atriz. Estreias em 2017: “Onde Quer Que Você Esteja” (longa da Macondo Filmes/SP); “Causa Mortis” (curta da LRJ Filmes/PE), “Sob Pressão” (série da Rede Globo/ direção: Andrucha Waddington) e “África da Sorte” (série da TV Brasil/direção: Renata Pinheiro). Brenda está nos longas "Todas as Cores da Noite" (Pedro Severien), "As Melhores Coisas do Mundo" (Laís Bodanzky), "Sangue Azul" (Lírio Ferreira), "Bruna Surfistinha" (Marcus Baldini). Atuou nas séries de televisão "A Mulher do Prefeito" (Rede Globo), "Beleza S/A" (GNT), "9mm SP" (Fox), "Somos Um Só" (TV Cultura). Também é apresentadora e videomaker (roteiriza, dirige e monta curtas autorais). Protagonizou diversos comerciais e videoclipes musicais. Estudou no Teatro Escola Macunaíma/SP; atuou em comédias, musicais, infantis e dramas. Foi dirigida por Wagner Moura na leitura dramática do espetáculo “Tchau, Querida!”, de Ana Maria Gonçalves, no Auditório Ibirapuera (nov/16). É formada em Comunicação Social pela Faculdade Oswaldo Cruz/SP, cursou Ciências Sociais na University of the West Indies (Trinidad & Tobago, Caribe) e Francês em Vevey (Suíça). CONTATO: brenda.ligia@hotmail.com

23 de outubro de 2012

Fazendo cinema

No set de filmagem- estúdio da TV Universitária
Do momento em que a diretora me convidou pra fazer um teste pro seu próximo longa até o instante do “ação” no set de filmagem, muito aconteceu aqui, de dentro para fora, pra que nascesse essa personagem que me foi dada como presente inesquecível: A Pastora. Uma delícia!

Na fase inicial da pesquisa, passei a frequentar a Assembléia de Deus de Boa Viagem. Amigos bebiam no bar, e eu orava no culto de libertação, às quintas-feiras. De saia nas canelas e óculos de grau, tentava não chamar atenção na igreja, enquanto internalizava tudo: a percepção, os detalhes, o olhar do outro, a crença.
Primeiro, comprei a Bíblia Sagrada com letras gigantes por R$39,90, no Extra. Comecei a ler para o trabalho, e agora continuo fazendo para a vida; gostei. Minhas madrugadas passaram a ter companhia dos pastores que apresentam programas na TV; coisa que sempre gostei de assistir, confesso. No meu fone de ouvido, tocava o sermão da Pastora Gisele, da Bispa Edinalva, da Irmã Maria Lúcia... aprendi expressões em aramaico que surtem forte impacto numa ministração. Kadosh Adonai Echad Melek Al-Ilah.
Foram horas, dias, semanas de prática... às vezes, disciplinada. Outras, preguiçosa. Muitas na frente do espelho, tantas na web cam, e algumas só no pensamento, mesmo.  Me sentia bem preparada pro teste quando chegou o dia: e consegui converter a produtora de elenco. Passei. E isso era só o começo.
Nova instrução da direção: minha Pastora não deveria ter fé. Era uma vaidosa, bipolar. Novo ensaio, novo elemento: ela tampouco faria referências à Bíblia, a Deus, Jesus, Aleluia... nada disso. Claro que nada seria tão óbvio... e achei ótimo esse desafio do “algo a mais”, que dá riqueza ao personagem. Quando é fácil não tem graça...
Aí sim, comecei a ensaiar com mais afinco. Eram treinos solitários, com muita loucura e experimentação, para, talvez, ter conseguido chegar a algum lugar interessante.
Camarim lotado 
Agora resta a expectativa, a espera, o tempo certo pro filho ficar pronto e poder ser contemplado. E as pessoas todas dessa produção seguem eternizadas em cada sorriso que floresce do peito e transborda benquerência, matéria e estampido. Assim dá gosto trabalhar... com essa equipe que faz tudo de verdade, com vontade de tornar o sonho real, cheio de luz, cor e arte nessa realidade inventada. 
bastidores da cena
“Mas quem pode livrar-se porventura
dos laços que o amor arma brandamente” (Camões)


18 de outubro de 2012

Papo de Salão



PAPO DE SALÃO
-Por que tu não alisa de vez, Brenda?
-Porque só preciso pra amanhã.
-Ôxe! E é, é?
-É. Vou fazer um filme e meu personagem tem cabelo liso.
-E esse filme vai passar onde? 
-Nos cinemas.
-Ah... (duvida com força)
Permanecemos caladas pelos próximos 64 minutos de escova e prancha.

17 de outubro de 2012

Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Resultado do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro: melhor atriz de cinema de 2012 é Deborah Secco! E a melhor atriz coadjuvante é Drica Moraes! Ambas pelo nosso filme! Quanta alegria... e orgulho dessas 2... meninas: vocês merecem o mundo! Pela entrega, pela pesquisa, pela generosidade... um enorme prazer fazer parte dessa verdade inventada de Bruna Surfistinha - O Filme, que mudou para sempre nossa forma de atuar. Vamos levar pra vida e pra arte.  
Drica Moraes, Deborah Secco e Brenda Ligia
em cena de Bruna Surfistinha
Ê, Sergio Penna! DÉ e DRICA: parabéns, amigas... sou fã! Quebrem tudo sempre, na telinha ou na telona! Amo vocês!
"Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho."- Clarice Lispector

12 de outubro de 2012

O vilarejo do peixe vermelho

Vovó Brenda... eu ainda chego lá!
Quando um homem nasce, vem com ele um peixe vermelho. Podemos senti-lo pelo pulso. Suas guelras respiram sangue, vida pelas barbatanas. Dentro de cada um de nós (ilhas), reside um peixe vermelho.
Agora, olhando a pessoa a seu lado, dá pra ver os olhos do peixe olhando através da janela (olhos humanos). Num estádio, os peixes de todos estão prestes a sair pela garganta.
Entre cada peixe, tem um oceano que nos separa. Essa travessia invisível, só quem faz é o peixe vermelho. É o amor.
-Vilarejo do Peixe Vermelho, de Anderson Anibal (MG)

8 de outubro de 2012

Ficção ou realidade

Como é mágico este ofício de se prestar a estudar a ficção de modo a torná-la real; a experimentação é realmente o melhor dos laboratórios. A cada mergulho, a cada ensaio da cena, me apaixono mais e mais pela personagem. Não tem preço... é muito bom! 
Ensaio 


Apresentadora Brenda Ligia


Brenda Ligia (apresentadora) e equipe da 485 Filmes
Quando algum trabalho chega ao fim, fica a sensação gostosa de missão cumprida misturada à saudade precoce do que um dia "terá sido". Projetos, programas, equipes, campanhas vem e vão de acordo com as ondas profissionais de cada um, porém, o lugar especial que cabe a cada pessoa com quem nos relacionamos, estabelecendo vínculos afetivos a partir do profissional, este fica sempre cativo, na gaveta das boas lembranças. E muitas vezes isso basta pra florir um enorme sorriso no peito... 485 Filmes, VALEU! 
no ar
César Pezzuoli, Brenda Ligia e Carlos Nigro
Diretor de fotografia Christian Perez

na firma

Sucesso na estreia de "Farpa"

Brenda Ligia vivendo a personagem Maria
Infelizmente não pude estar presente (fisicamente!) na nossa estreia no cinema (Cine Sesi). O filme "Farpa", de Henrique Oliveira (Panan Filmes), teve uma sessão de exibição que foi um sucesso, lotada, com ingressos esgotados. Feliz da vida por fazer parte desse cinema alagoano!
Foi um grande presente viver a personagem Maria neste filme forte, que trata de temas muito polêmicos, duros, tabus. Maria carrega a carga de uma geração de mulheres que gera filhas mortas, por vários tipos de castração (sexual, física, psicológica, etc). Foi um trabalho profundo, mergulho que mexeu bastante comigo, aqui dentro. Sensacional. Obrigada a todos!
capa do filme Farpa

Set de Farpa
Maria, o marido e o vazio. Solidão.





2 de outubro de 2012

Estreia do filme FARPA

ESTREIA NO CINEMA: Farpa (Panan Filmes). Com: Brenda Ligia, Tamylka Viana, Carol Teles.
 -Berenice usa a filhinha de colo para pedir dinheiro no semáforo. Maria Flor mudou-se para a cidade grande e acaba como prostituta. Eudócia dá à luz um filho fruto de uma relação incestuosa com o próprio pai. Farpa narra a história de uma geração de mulheres de uma mesma família que geram filhas mortas. Seja por castração sexual, psicológica ou econômica essas mulheres se tornam vítimas da feminilidade/ sexualidade inerente a elas.
Saiba MAIS em: http://graciliano.tudonahora.com.br/2012/06/22/um-filme-para-arriete/#comment-55

Estreia dia 05 de outubro de 2012
Cine Sesi, 19h
Maceió/ AL.