Brenda Ligia-Cinema,TV,Teatro

Minha foto
Brenda Ligia, atriz. Em 2018 estreia na série “Assédio” (Rede Globo), “África da Sorte” (TV Brasil), “Onde quer que você esteja” (longa), “Flores do Cárcere” (longa), “15 segundos” (longa), “Causa Mortis” (curta). Formada na Faculdade de Comunicação Social; curso técnico profissionalizante de Teatro (SP); curso superior na University of the West Indies (Trinidad & Tobago). 6 séries de TV (“Sob Pressão”/ Rede Globo; “A Mulher do Prefeito”/ Rede Globo); em cinema, 7 longas (“As Melhores Coisas do Mundo”/ Laís Bodanzky; “Bruna Surfistinha”); 10 curtas; 9 espetáculos teatrais; 10 campanhas (como apresentadora); 15 comerciais (publicidade, institucionais) e 8 videoclipes. Inglês fluente, francês avançado. Também diretora, roteirista e montadora de 5 curtas: “Aqui Jaz” (prêmio ‘melhor atriz de curta’ p/ Brenda Ligia no CinePE 2017), “Rabutaia”, entre outros. Contato: brenda.ligia@hotmail.com

1 de junho de 2013

Falta uma semana pra estreia!

"Se a arte não registra o homem, no tempo e no espaço, para mim não é arte, não é teatro, não é literatura, não é nada”. Jorge Andrade, 1978
Quitéria (Brenda Ligia) em "As Confrarias", de Jorge Andrade (estreia dia 09 de junho)
Mauro Monezi e elenco
Marcelino Dias

Ivo Barreto, Brenda Ligia e Rudimar Constâncio




Falta uma semana para a estreia do nosso espetáculo As Confrarias, de Jorge Andrade (inédito no Brasil). Direção: Antonio Edson Cadengue/ Cia Teatro de Seraphim.
Estreia dia 09 de junho, domingo que vem, às 20h, no Teatro Barreto Júnior (Recife).
Em cartaz de quinta a domingo, até 30/06 (exceto dia 23/06; pelo dia de São João).
Ingressos: R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia). Duração: 1h30. Teatro adulto.

"As Confrarias, peça eivada de erotismo, de religiosidade, de arte e política (e tudo isto muito bem entrelaçado), faz uma correspondência engenhosa com o ambiente histórico-social das Minas Gerais do século XVIII, quando se sonhava ardentemente com a liberdade, mas se vivia em verdade curvado sob o jugo da tirania do governo colonial português (e inglês, como pano de fundo) e da Igreja Católica.
Um rico balé gestual cheio de ademanes e reverências para acompanhar uma linguagem verbal que mais esconde idéias e intenções do que mostra." -por Catarina Sant'Anna

CURIOSIDADES:
• Foi Cacilda Becker quem incentivou Jorge Andrade a escrever para teatro, na década de 50. Mas ele queria ser ator.
• Sua obra faz uma reconstrução da história do Brasil, sobretudo o ciclo do café, além de focalizar o problema da decadência dos valores patriarcais.
• Um dos personagens favoritos vividos por Fernanda Montenegro foi Lucília, da obra “A Moratória”, de Jorge Andrade (1954).
• Ele foi um dos nomes mais importantes no processo de renovação do teatro nacional; o “Garrincha” da dramaturgia brasileira.

IMPERDÍVEL! VENHA NOS ASSISTIR! A partir de 9 de junho, de quinta a domingo, no Teatro Barreto Junior, Recife.

Nenhum comentário: