Brenda Ligia-Cinema,TV,Teatro

Minha foto
Brenda Ligia: prêmio de Melhor Atriz no festival CinePE 2017. Estreias: “Onde Quer Que Você Esteja” (longa/ Macondo Filmes SP); “Causa Mortis” (curta/ LRJ Filmes), “África da Sorte” (série/ TV Brasil), “15 Segundos” (longa/ prod.: Antonio Fagundes). Brenda está nos longas “Todas as Cores da Noite” (Pedro Severien), “As Melhores Coisas do Mundo” (Laís Bodanzky), “Sangue Azul” (Lírio Ferreira), “Bruna Surfistinha” (Marcus Baldini). Atuou nas séries de televisão “Sob Pressão” (Rede Globo), “A Mulher do Prefeito” (Rede Globo), “Beleza S/A” (GNT), “9mmSP” (Fox), “Somos Um Só” (TV Cultura). Formada em Comunicação Social na Faculdade Oswaldo Cruz/ SP. Cursou Técnico Profissionalizante em Teatro no Teatro Escola Macunaíma/SP. Em Teatro, foi dirigida por Wagner Moura na leitura dramática do espetáculo “Tchau, Querida”. Cursou Ciências Sociais na University of the West Indies (Trinidad & Tobago, Caribe) e Francês em Vevey (Suíça). Idiomas: Português, Inglês, Francês. Publicidade: Vivo, Santander, Sebrae, Coca-Cola, Mc Donald’s, Nossa Caixa, Nestlé, Nextel. Também APRESENTADORA e videomaker. CONTATO: brenda.ligia@hotmail.com

10 de março de 2010

Para Drica Moraes

Drica, tenho claro em minha mente o momento em que nos conhecemos. Naquela manhã de setembro você chegou na casinha geminada onde passamos aquele tempo infinitamente arrastado pelas horas. Você já entrou gritando ordens e remexeu o turbilhão que existia dentro da minha personagem.
Até hoje ecoa na minha mente a primeira frase que me disse (na vida fictícia, embora tão real): "engole esse choro!" -foi o que ouvi da Dona Larissa que enxergava através dos seus olhos. Me olhava por cima dos óculos; era de meter medo na Kelly dentro de mim.

Você chegou encantando, dominando, trazendo luz e sombra. O conflito mais que necessário: indispensável. Enriquecedora. Essencial. Cada uma deu vida a pessoas inventadas por outras, e criamos um time denso, real, de forma profundamente inenarrável.

O que vivemos ali não pode ser relatado na íntegra, pois nem imaginávamos o quão longe podíamos ir no exercício da cena, da verdade, do não-desmontar. Convivíamos naquele silêncio triste em contraponto com a gritaria ensandecida ("Favo fecha as janela quando a Dona Larissa começa a grita" - dizia o bilhete de Kelly imantado à geladeira).

A acuada menina Raquel chegou na casinha pra engrossar o caldo, mudando o curso do todo (juro que era impossível enxergar a mulher Deborah naquela pequena perdida no mundo). Foi uma das experiências mais verdadeiras e profundas que já vivi. Naquele mês de setembro nós até sonhávamos com tudo aquilo, sobretudo depois de 60 horas corridas sem dar trégua ao laboratório que viria mudar minha concepção de preparação de elenco.

Não houve, na história do filme, lembrança mais engraçada que o dia em que você estava com a macaca, Drica, e resolveu botar pra quebrar na casinha. Ao despedir-se do "cliente" Seu Nelson (não temos vaga ideia se este é seu nome verdadeiro), um dos atores contratados para visitar o privê em "horário de expediente", você cismou que ele não tinha "acertado" o serviço. Dona Larissa queria dinheiro. Você andava pra lá e pra cá, fitando o senhorzinho por cima dos óculos, e dizendo: "Seu Nelson, o senhor não vai sair daqui enquanto não pagar o que deve". E ele, coagido, quase sussurrando: "Eu queria falar com a Drica Moraes... porque vim aqui por causa de um filme...". E você: "Que filme, Seu Nelson! Aqui não pode filmar nada! Não me cause problemas!"; e ele: "Então vou ligar pro meu agente...", tadinho! hahahaha

FLASH DE MEMÓRIA: o senhorzinho fazendo o gesto de dar dinheiro pra você (de mentirinha), pra ver se saía do jogo, e você olhando com estranheza para a mão dele, vazia: "Quê isso, Seu Nelson! Tá me achando com cara de trouxa!" - hahahaha

Olha, Drica, é impagável a lembrança dele na sala da nossa casinha, beirando o estado de insanidade, perguntando se você não era a atriz Drica Moraes, e você, deslavadamente, dizendo "que Drica que nada, Seu Nelson! Não muda de assunto que o senhor tem que pagar o que deve!". Desde o "engole esse choro!", foi ali que comecei a te amar; e olha que ainda nem sabia que ser humano maravilhoso de coração gigante mora dentro de você. Sinta-se abraçada agora, Drica.

5 comentários:

Anônimo disse...

huahsuaa' a Drica é mto Dewa *-* tadinho do "Seu Nelson"! XDD
q sorte vc tem de conhecê-la .. amei o post, escreveu mto bem :)
estou louca para ver o filme..

Anônimo disse...

Brenda,
Adorei o seu post a respeito da Drica. Sempre a achei uma ÓTIMA atriz e sempre me pareceu ser alguém de coração muito bom, apesar de não a conhecê-la. Daí, no dia da filmagem do meu gatinho, dia em que tive o prazer de conhecer você, pude sentir a energia dela, a energia de uma pessoa do bem. E fiquei muito triste ao saber de toda a situação. Minha mãe até me ligou pra falar do assunto, ficou super triste, porque também sempre admirou muito o trabalho dela. Estamos na torcida e vibrações positivas viu...
Grande beijo
Milene

Emily disse...

Maravilhoso Brenda!!
Drica é demais.Merece todo carinho e adimiração do mundo!
Parabéns pelo post, de emocionar.
Beijos,
Emily.

Cax disse...

Lindo post!

Brenda Ligia disse...

Vai estreiar o filme O BEM AMADO, com a Drica. Ela está bombando no cinema, um luxo! E vai trabalhar muito mais, essa luz de ser humano! Brilha muito, Adriana Rego!