Brenda Ligia-Cinema,TV,Teatro

Minha foto
Brenda Ligia: prêmio de Melhor Atriz no festival CinePE 2017. Estreias: “Onde Quer Que Você Esteja” (longa/ Macondo Filmes SP); “Causa Mortis” (curta/ LRJ Filmes), “África da Sorte” (série/ TV Brasil), “15 Segundos” (longa/ prod.: Antonio Fagundes). Brenda está nos longas “Todas as Cores da Noite” (Pedro Severien), “As Melhores Coisas do Mundo” (Laís Bodanzky), “Sangue Azul” (Lírio Ferreira), “Bruna Surfistinha” (Marcus Baldini). Atuou nas séries de televisão “Sob Pressão” (Rede Globo), “A Mulher do Prefeito” (Rede Globo), “Beleza S/A” (GNT), “9mmSP” (Fox), “Somos Um Só” (TV Cultura). Formada em Comunicação Social na Faculdade Oswaldo Cruz/ SP. Cursou Técnico Profissionalizante em Teatro no Teatro Escola Macunaíma/SP. Em Teatro, foi dirigida por Wagner Moura na leitura dramática do espetáculo “Tchau, Querida”. Cursou Ciências Sociais na University of the West Indies (Trinidad & Tobago, Caribe) e Francês em Vevey (Suíça). Idiomas: Português, Inglês, Francês. Publicidade: Vivo, Santander, Sebrae, Coca-Cola, Mc Donald’s, Nossa Caixa, Nestlé, Nextel. Também APRESENTADORA e videomaker. CONTATO: brenda.ligia@hotmail.com

14 de fevereiro de 2014

Moolaadé

Outro dia eu estava pesquisando sobre cultura africana e encontrei um longa-metragem que trata de mutilação genital feminina, prática comum em algumas comunidades muçulmanas, onde as meninas são cortadas ainda na infância. Imagina! 
Cena do filme Moolaadé
Cliquei no link e não consegui parar de assistir… hipnotizada. É um filme maravilhoso, emocionante, lindo. Cult. Adorei e recomendo: Moolaadé (longa de 2004, visto por poucas pessoas). O diretor, um senhor senegalês de mais de 80 anos, foi o pai do cinema africano: Ousmane Sembène. Gênio. E o filme já foi premiado no festival de Cannes e tudo. 

É extremamente elegante e provocativo; invoca reflexões sobre as tradições (in)questionáveis- pela religião, cultura, sexualidade e política. A protagonista, personagem cativante, é vivida por uma atriz que foi mutilada quando criança, na vida real. Sem palavras. 

Viajei pelo vilarejo de Burkina Faso (procurei no mapa), vivendo o mundo daquelas mulheres que sentem no corpo e na alma a opressão masculina que afeta suas vidas. Ainda assim, conseguem sorrir, lutar e amar . Dá pra ver beleza também na dor.

Links do filme Moolaadé (com legenda em português, uhu!)
E BOA VIAGEM!

Um comentário:

Solange Belém Santos disse...

É como dita o provérbio: Quem é bom já nasce pronto!
Parabéns!