Brenda Ligia-Cinema,TV,Teatro

Minha foto
Brenda Ligia: prêmio de Melhor Atriz no festival CinePE 2017. Estreias: “Onde Quer Que Você Esteja” (longa/ Macondo Filmes SP); “Causa Mortis” (curta/ LRJ Filmes), “África da Sorte” (série/ TV Brasil), “15 Segundos” (longa/ prod.: Antonio Fagundes). Brenda está nos longas “Todas as Cores da Noite” (Pedro Severien), “As Melhores Coisas do Mundo” (Laís Bodanzky), “Sangue Azul” (Lírio Ferreira), “Bruna Surfistinha” (Marcus Baldini). Atuou nas séries de televisão “Sob Pressão” (Rede Globo), “A Mulher do Prefeito” (Rede Globo), “Beleza S/A” (GNT), “9mmSP” (Fox), “Somos Um Só” (TV Cultura). Formada em Comunicação Social na Faculdade Oswaldo Cruz/ SP. Cursou Técnico Profissionalizante em Teatro no Teatro Escola Macunaíma/SP. Em Teatro, foi dirigida por Wagner Moura na leitura dramática do espetáculo “Tchau, Querida”. Cursou Ciências Sociais na University of the West Indies (Trinidad & Tobago, Caribe) e Francês em Vevey (Suíça). Idiomas: Português, Inglês, Francês. Publicidade: Vivo, Santander, Sebrae, Coca-Cola, Mc Donald’s, Nossa Caixa, Nestlé, Nextel. Também APRESENTADORA e videomaker. CONTATO: brenda.ligia@hotmail.com

29 de junho de 2014

Obsessão Infinita

Obsessão Infinita, de Yayoi Kusama tem entrada gratuita e fica em exibição até dia 27 de julho de 2014, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.
Sala de Espelhos Infinitos: Brilho e Vida
Yayoi Kusama, a mais proeminente artista japonesa viva desde 1929, atualmente vive voluntariamente numa instituição psiquiátrica no Japão, desde 77. 

"Loucura e arte não caminham necessariamente juntas. Mas, em determinadas circunstâncias, transtornos mentais podem abrir caminhos inusitados para a criatividade. Kusama sofre de transtorno obsessivo compulsivo e alucinações desde a infância. Sua mãe chegava a destruir seus desenhos, mas foram eles que a fizeram escapar do suicídio". 
(por Roberta Jansen)

Sala de Espelhos Infinitos: Campo de Falos

















"Artistas não costumam expressar seus próprios complexos psicológicos diretamente, mas eu adoto meus complexos e medos como temas. Fico aterrorizada só ao pensar que algo longo e feio como um falo me penetre, e é por este motivo que construo tantos falos… eu construo muitos e muitos deles e então continuo contruindo, até que me enterro no processo. A isto dou o nome de obliteração". 

23 de junho de 2014

A cidade

Brenda Ligia, Avenida Paulista, em São Paulo

"A cidade se apresenta centro das ambições
Para mendigos ou ricos e outras armações
Coletivos, automóveis, motos e metrôs
Trabalhadores, patrões, policiais, camelôs
A cidade não pára, a cidade só cresce
O de cima sobe e o de baixo desce
A cidade se encontra prostituída
Por aqueles que a usaram em busca de saída
Ilusora de pessoas de outros lugares
A cidade e sua fama vai além dos mares
No meio da esperteza internacional, a cidade até que não está tão mal
E a situação sempre mais ou menos, sempre uns com mais e outros com menos
A cidade não pára, a cidade só cresce
O de cima sobe e o de baixo desce"

16 de junho de 2014

Agora repórter

Estou em São Paulo trabalhando como repórter para a produtora D7 Filmes. Como é bom fazer o que se gosta! Feliz.
Repórter Brenda Ligia (D7 Filmes)

Brenda Ligia entrevista. Foto: Thiago Lopes

12 de junho de 2014

Copa

Acabou tendo Copa... Brasil 3 x Croácia 1
Acabou tendo Copa
Por Idelber Avelar
"De manhã: sangue de manifestantes nas ruas. 
De tarde: uma abertura tão vexaminosa que até os mais entusiasmados com a Copa concordaram que foi grotesco: pela primeira vez na história das Copas, a/o chefe de Estado não falou e a única coisa realmente importante -- a descoberta científica de um brasileiro -- não foi mostrada. 
De noite: uma vitória roubada, sobre a qual até a imprensa mais patrioteira concordou que foi fruto de um pênalti inventado, com o jogo 1 x 1 e a Croácia dominando. 
É o resumo da Copa até agora. Quem está comemorando, que curta sua festa, claro! Eu só consigo sentir vergonha."

6 de junho de 2014

Meu texto no Blogueiras Negras

Minha mãe e meus irmãos antes de eu nascer
Estou muito feliz porque um dos meus textos foi publicado no Blogueiras Negras, que é uma ferramenta de resistência e luta nesta sociedade estruturalmente discriminatória e desigual. No Facebook, a página já tem 107.706 curtidas... só falta você! 

Para ler meu texto, clique AQUI em http://blogueirasnegras.org/2014/06/05/e-por-falar-em-mae/ (e, se quiser, deixe seu comentário). 

Muito Obrigada! 

Na foto abaixo (e também no meu "E por falar em mãe..."), minha mãe e meus irmãos, antigamente... antes de eu chegar a este mundão.

Lembrando que, quem me apresentou ao site foi minha prima-amiga-exemplo-irmã e escritora favorita Ana Maria Gonçalves, uma das 25 negras mais influentes da web, que foi quem me ensinou a valorizar minhas raízes. 



4 de junho de 2014

Meus anos de solidão

Desde menina, sempre tive tendência à solidão. Caçula de dois mais velhos, lidava, à hora de dormir, com papai e mamãe dividindo a suíte, o zum-zum-zum dos irmãos papeando no quarto ao lado, e, no meu, eu só, entre Barbies, Pogobol e Moranguinhos. Sob minha cama, os fantasmas da noite jaziam vigilantes ao xixi noturno e à mamadeira de Nescau quentinho, tardios hábitos secretos da marmanja que lia cada página como quem conta carneirinhos para o sono chegar. "Casa de Vó é Sempre Domingo", de Marina Martinez, "8 Minutos dentro de uma Fotografia", de Ganymédes José, "Sozinha no Mundo", de Marcos Rey... e nunca Monteiro Lobato. Nunca. Então dormia... e sonhava a menina. 
Mas solidão só presta se for sob medida, com prazo limite. Só não dói pra quem tem amor, música, ou algo pra ler; pode ser um jornal velho de anteontem, embalagem de shampoo pra cabelos crespos, mas, se for um livro, ah! Ótimo. Se for bom, melhor ainda. Aí basta. 
Cem Anos de Solidão
Ontem acabei "Cem Anos de Solidão". Fiquei arrastando os últimos capítulos, pra fazer render e durar mais. Entendi perfeitamente o porquê do danado do Gabriel Garcia Márquez ter sido o autor do clássico mais lido no planeta. Fiquei hipnotizada por este tal realismo fantástico, pela escrita artística de Gabo, pela urgência que ele imprime nas suas viagens criativas. Me fez refletir sobre as tradições familiares, as raízes e a polítca. Pirei na Macondo de borboletas amarelas, peixinhos de ouro e gente com rabo de porco. Vi os 17 Aurelianos com cruz na testa, Rebeca comendo terra escondida, Fernanda fazendo necessidades em penicos de ouro, Remédios subindo aos céus com lençóis flutuantes... quanto poder existe no dom da escrita! É o dom de perpetuar sonhos através do tempo e do espaço. É lindo! 
Gabo dizia que "o segredo de uma velhice agradável consiste apenas na assinatura de um pacto honroso com a solidão". Sendo assim, enquanto me restar saúde, visão e algum livro pra ler, estarei salva, porque, quando você vive outras vidas, a solidão é compartilhada com aquele mundo inventado. É uma deliciosa viagem. Eu ousaria chamá-la de felicidade. 

3 de junho de 2014

DIVA (em breve, nos cinemas)

"DIVA", de L.Rodrigues. Estrelando Brenda Ligia. Em breve, nos cinemas...
Brenda Ligia estreia em DIVA, de L. Rodrigues. Em breve, nos cinemas... Foto: Nathalia Carvalho








Brenda Ligia, protagonista do filme "DIVA", de Luiz Rodrigues. Em breve, nos cinemas. Foto: Nathalia Carvalho