Brenda Ligia-Cinema,TV,Teatro

Minha foto
Brenda Ligia, atriz de cinema, está em "Todas as Cores da Noite" (Pedro Severien), "As Melhores Coisas do Mundo" (Laís Bodanzky), "Sangue Azul" (Lírio Ferreira), "Bruna Surfistinha" (Marcus Baldini), e outros. Atuou nas séries de televisão "A Mulher do Prefeito" (Rede Globo), "Beleza S/A" (GNT), "9mm SP" (Fox), "Somos Um Só" (TV Cultura), diversos comerciais e videoclipes musicais. Também é apresentadora e videomaker (roteiriza, dirige, atua e monta os próprios filmes). Estudou no Teatro Escola Macunaíma/SP; atuou em comédias, musicais, infantis e dramas. É formada em Comunicação Social pela Faculdade Oswaldo Cruz/SP, cursou Ciências Sociais na University of the West Indies (Trinidad & Tobago, Caribe) e Francês em Vevey (Suíça). Estreia em 2017: série de TV "África da Sorte" (TV Brasil) e curta-metragem "Causa Mortis", de Luiz Rodrigues. CONTATO (cinema, televisão e teatro): brenda.ligia@hotmail.com

27 de fevereiro de 2013

Ensaio Fotográfico 2013

Ensaio Fotográfico- BRENDA LIGIA 2013
Por Edson Kumasaka (São Paulo)
Making of: Arthur Miguel (em breve...)
Atriz BRENDA LIGIA 2013- ensaio fotográfico

Atriz Brenda Ligia e fotógrafo Edson Kumasaka

Atriz Brenda Ligia- ensaio fotográfico 2013

20 de fevereiro de 2013

As voltas que a vida dá



Cena I

Uma mulher negra e alta arruma as malas para viajar a trabalho. 

(Feliz, aproveito a passagem para ficar uns dias a mais com a família em São Paulo. Mil planos à vista: levar as crianças ao parque, declarar o imposto de renda da minha mãe, beber vinho na madrugada com as amigas, assistir às peças dos colegas em cartaz...)

Toca o telefone. Ela ouve. Seu coração vai ficando apertado, diminuindo de tamanho. 

(A voz dela estava diferente ao telefone; mais rouca. Me contou que estava com falta de ar, sem fôlego, dificuldade na respiração. “Fui pro hospital, suspeitaram de pneumonia. Não era. No exame, apareceu um caroço de 2cm no meu pulmão, comadre” – nesse ponto ela começou a chorar. Sentei, fraca. Não saíam palavras. Eu tentava engolir minha amargura para vomitar esperanças

Pausa dramática (na vida). 

(Estou com dor no coração. A gente nunca acha que vai acontecer de verdade, de repente. Duvida-se que o cigarro faça mal até que alguém próximo entre pras estatísticas. 

Minha comadre é uma mistura de mãe com irmã mais velha: foi quem estava comigo no dia em que mais chorei nessa vida, aos 11 anos de idade. E também a primeira amiga com quem morri de rir. 

É uma mineira bonita, balzaca alegre, enfermeira trabalhadora, que mulher divertida! Sou madrinha de batismo da sua única filha; hoje, a mais linda moça, minha afilhada. Estamos conectadas na alegria e na saúde, na tristeza e na doença. É família, uai).

Quando desliga o telefone, a mulher já não é mais tão alta. Nem feliz. 

(Continuo arrumando a mesma mala, mas a bagagem que levo agora é diferente: pesa mais. Mas tem que ter força pra carregar. É... as voltas que a vida dá. Meu fim de semana em SP incluirá pernoites na badalação do hospital, acompanhando minha grande amiga em sua luta. Vão fazer a cirurgia para retirar o tumor. Maldita doença... mas estamos confiantes que vai dar tudo certo! Os médicos são bons, a medicina tá avançada... e tem Deus! Está, então, em boas mãos: pode entregar. E tô chegando! Quando a vida dói no peito, pode segurar minha mão, comadre querida. Gente serve também pra fazer chorar... mesmo nós, que sempre rimos de tudo até hoje nessa vida. É muito amor, viu? E isso também cura. Te amo). 

Esta é minha comadre amada

18 de fevereiro de 2013

Sonhos e problemas

Brenda Ligia (Kelly), e Drica Moraes (Larissa)/ preparação "Bruna Surfistinha" (por Sergio Penna)
Acabei de ler no jornal uma matéria sobre como a grandiosa atriz Drica Moraes recuperou-se da leucemia. "Quando você tem um grave problema, ou você luta ou luta (risos). Acho que a doença vem pra provocar mudanças necessárias nas nossas vidas".

E ainda: "A vida é sonhar e resolver problemas. A vida é feita a qualquer momento, com partes de coisas, e as coisas são passageiras".

Nota às pessoas que eu amo: PELO AMOR ♥ , parem de fumar... logo.

13 de fevereiro de 2013

Drama, poesia e arte

Marcaram a reunião pro dia do meu aniversário: às 20h de uma noite quente de fevereiro. Entrei no elevador com o pé direito no trabalho novo, toda perfumada com colônia cítrica. Ufa, pontual: desliguei o celular e ajeitei a alça do vestido novo. O espelho escondia o segredo: era meu aniversário. Sorri. 

Desde menina, já enfeitiçada pela grandeza do teatro, meus olhos miram o palco feito criança no barco Viking... querendo tudo, tanto. "Meu presente é aqui, no Pina, agora", penso, "chegando à leitura do espetáculo 'As Confrarias', de Jorge Andrade (da década de 60: momento histórico); sob direção do competente Antonio Cadengue (majestoso); estreia em junho; com a Cia Teatro de Seraphim (tradicional) e seus grandes profissionais (meus novos confrades)". Cheguei: surpresa! "Parabéns pra você", abraços, presentes (com dedicatória dos autores) e brinde com prosecco (à generosidade do bom pernambucano).

Voltar aos palcos é sempre fascinante, mas dessa forma é um estado de graça. É instigante desbravar as delícias da pesquisa histórica através de artigos, teses, livros... Estou na centésima página de "A Morte é uma Festa" (Cia das Letras); passei o carnaval estudando sobre ritos fúnebres e revolta popular no Brasil do século XIX. Ocupada e adorando. 

Ok. Encaro a responsabilidade da dramaturgia séria, sólida, como instrumento de transformação social e reflexão política. Aceito o desafio de emprestar meu corpo à personagem Quitéria, ex-escrava na sociedade mineira do Brasil colonial, com questionamentos religiosos e étnicos. Estou preparada para embarcar nesta viagem e exercer com plenitude o meu papel de artista. 
Elenco do espetáculo "As Confrarias". Direção: Antonio Cadengue. Estreia em jun/13
No fim do ensaio, tive vontade de fazer um discurso emocionado aos novos colegas, dizendo tudo que escrevi aqui, e acrescentando, às lágrimas: "vocês são parte do meu presente, neste feliz aniversário". Mas como ainda não tenho intimidade com o grupo, disse apenas "obrigada" e sorri. Não só ri com os lábios, mas com os olhos, com a alma e o coração. O Teatro salva. Drama, poesia e arte!

5 de fevereiro de 2013

Personagem Novo

Espetáculo teatral "As Confrarias", de Jorge Andrade Direção: Antonio Cadengue
Estreia no primeiro semestre de 2013.  
Brenda Ligia vive Quitéria, ex-escrava, no espetáculo teatral As Confrarias, de Jorge Andrade

1 de fevereiro de 2013

Cinema premiado


"Em 2012, só deu sotaque pernambucano nos principais prêmios dos maiores festivais de cinema do país." (matéria da Revista Monet, jan/ 13)
Kleber Mendonça, Lírio Ferreira, Cláudio Assis, Renata Pinheiro e outros cineastas

Tive o privilégio de trabalhar com dois grandes cineastas: Renata Pinheiro e Lirio Ferreira. Aguarde nossa estreia nos cinemas em 2013: "Sangue Azul". Tô feliz da vida! ♥
Brenda Ligia, feliz da vida no Recife (rio Capibaribe ao fundo)